Minhas árvores favoritas para paisagismo: PAINEIRA - Adriano Gronard
21754
post-template-default,single,single-post,postid-21754,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-child-theme-ver-1.0.0,select-theme-ver-3.7,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Minhas árvores favoritas para paisagismo: PAINEIRA

A paineira rosa (Chorisia speciosa ou Ceiba speciosa) é muito utilizada em arborização de ruas, praças e parques.

Cena muito comum sob uma das árvores mais espetaculares e exuberantes do Brasil: pessoas conversando sob a generosa sombra de uma paineira rosa. Foto: Valdison Aparecido Gil

Cena muito comum no interior do Brasil: pessoas conversando sob a generosa sombra de uma paineira rosa. Foto: Valdison Aparecido Gil

É muito importante que o canteiro seja grande. Isso porque suas raízes crescem vigorosamente. Na falta de espaço, podem levantar calçadas, derrubar muros e rachar lajes. Na foto acima, é nítido o poder de suas raízes.

casa-ao-cubo-paineira-ceiba-speciosa-flor-exuberante-cubo-daily

É notável a exuberância da flor da paineira. Vamos plantar mais dessa árvore! Foto: The University of Arizona

É facilmente encontrada na Mata Atlântica, no Pantanal e em parte do Cerrado.

Pode ser considerada única, pois além de linda, ela produz a exclusiva paina, que serve para enchimento em travesseiros e pelúcias.

Outras características incríveis

-A árvore atinge até 30 metros de altura e seu tronco (com até 120cm de diâmetro) é cheio de espinhos grandes, robustos e muito afiados, principalmente nos exemplares mais jovens. Tudo para proteger a árvore e garantir que ela cresça livremente.

-O tronco das paineiras tem boa capacidade de fazer fotossíntese e tem coloração esverdeada até atingir uma boa altura.  Essa capacidade auxilia o crescimento mesmo quando a árvore está sem folhas (após a florada).

-As flores das paineiras estão entre as mais visitadas por borboletas!

-A árvore também como característica peculiar um alargamento na base do caule, com forma de uma barriga. Por esse motivo, é frequentemente chamada de “barriguda”, principalmente em Minas Gerais e Bahia.

 

-Os frutos, quando maduros , abrem-se expondo as sementes envoltas em fibras finas e brancas (a paina, que dá origem ao nome popular da árvore). É a mesma levíssima paina que voa e leva junto de si a semente a locais mais distantes!  Natureza sábia!
asa-ao-cubo-paina-paineira-cubo-daily-pluma

Foto: Calile (conta do Flickr)

casa-ao-cubo-paina-neve

É com esse aspecto de “neve” que ficam os arredores da árvore, quando ela libera a paina de seu fruto. Foto: William H Stutz

-Quando a árvore já está bem grande, os espinhos costumam  cair aos poucos na parte baixa do caule e, gradualmente, também caem nas partes mais altas da árvore, com o engrossamento da casca. Então, se você encontrar uma paineira com pouco espinho , significa que ela já está lá há algumas décadas!

Onde encontrar a paineira na cidade?

Em São Paulo, é bastante frequente na Marginal Pinheiros (canteiro entre vias expressa e local). Também  na avenida dos Bandeirantes, em vários trechos das avenidas Rubem Berta e 23 de maio e em vários parques onde são plantadas em grande conjunto , o que potencializa o visual  do “tapete branco” originado pelas apinas dos frutos que caem.

No Rio de Janeiro, há vários exemplares no Aterro do Flamengo (autoria de Roberto Burle Marx).

Também é notável a abundância da árvore em espaços públicos e em seu habitat (na Mata Atlântica) nas cidades da Serra da Mantiqueira e do Vale do Paraíba.

Se você mora no Brasil, procure com atenção. Você provavelmente encontrará uma paineira em algum espaço público da sua cidade! Mesmo que não seja nativa do local!

Do Brasil para o mundo

A paineira encanta gente de todo mundo e tem características tão únicas que é frequente em jardins botânicos espelhados pelo mundo.

Em países como Portugal e Argentina (onde é encontrada naturalmente nas proximidades com o Paraná), foram plantadas em grande quantidade em diversos parques e canteiros públicos. Em Buenos Aires, por exemplo, a avenida mais famosa (9 de Julio) tem vários exemplares em seus canteiros.

Casa-ao-Cubo-paineira -Buenos-Aires

Paineira no bosque de Palermo. Buenos Aires, Argentina. Foto: Marta Pinto

A “prima peruana”

No Peru e na Bolívia, há outra espécie de árvore da mesma família (Bombacaeae)  com tronco idêntico. O formato das flores e a produção de paina também ão algo em comum. Porém, essa outra espécie de paineira tem flores que variam do branco “creme” ao amarelo claro, sempre com “pintinhas” rosas ou marrons. As pétalas são menos recortadas também.

São muito apreciadas em jardins botânicos ao redor do mundo também:

Casa-ao-Cubo-paineira-jardim-botânico-California

Tronco de paineira Ceiba insignis,  similar à nossa paineira rosa em jardim botânico na Califórnia. EUA.

Casa-ao-Cubo-paineira-peruana

A flor da paineira peruana/boliviana também é muito bonita. Porém, a florada é menos abundante que a da nossa árvore nativa e rosa!

 

ADRIANO GRONARD

 

1 Comentário

Publicar um comentário